sexta-feira, 16 de novembro de 2018

A Melancolia

 O sentimento habitual do melancólico é o da tristeza profunda ante qualquer situação que o domine, que o prenda às sensações da Terra.
O melancólico, quase sempre, nos seus estados de torpor espiritual, não se recorda de Deus, não pensa nos seus guias espirituais e ignora que existe, além daqui, uma vida bem mais profunda e com maior condição de paz, de equilíbrio e de felicidade, como não se encontra na Terra. Pode-se dizer que os atacados de melancolia temporariamente se esquecem de Deus e da felicidade de espírito.
Como devemos agir quando nos sentimos desse modo? Como equilibrar a emoção, que as vezes é muito forte, a ponto de derribar a nossa alma?
Deve-se, como já se disse, primeiramente lembrar de Deus, da vida espiritual, daquilo que temos que fazer em torno da espiritualização.
Muitos alegarão que conhecem essa necessidade, mas a dificuldade existe, e justamente no campo da impossibilidade de superar, ainda que temporariamente, o sentimento de desvalia Ora, meus irmãos, aí é que reside a tarefa maior, o esforço que cabe a todo espírito desenvolver. Se fosse fácil lutar contra a melancolia, as criaturas, num simples passar de um dia para outro, superariam as dificuldades; mas por ser difícil é que cabe o esforço pessoal, intransferível, o esforço para ultrapassar o mal  que está na criatura, a sua sensação de desvalia.
Desenvolver coragem moral, observar-se para superar os próprios sentimentos menores, habituar-se a oração, ter como lema a coragem e a decisão, convencer-se de que há em si um valor tão forte que ultrapassa qualquer outra maneira de viver, valor este que se traduz por "viver em paz", superar as dificuldades que provocam as sensações menores, tudo isso faz parte do arsenal que o espírito imortal precisa desenvolver em seu íntimo. Nesse desenvolvimento de valores, que não se esqueça a lição de imortalidade: viveremos sempre, eis tudo!
Na vida cotidiana, quando os pequenos senões nos tornem incapazes de manter a capacidade de luta, ainda assim, procuremos Jesus; saiamos em busca desse Mestre generoso de bondade interior. Lembremo-nos das suas palavras no Sermão da Montanha: "Olhai os lírios dos campos; não tecem nem fiam, entretanto Deus os ajudará"
Que os melancólicos, ou os deprimidos, como se queira chamá-los, saibam que valem mais do que os lírios dos campos: todos são espíritos imortais! Deus os abençoará, não só hoje como sempre, sustentando-os nas lutas diárias, esperando tão somente que digam: "Meus Deus, ajudai-me"!
Que Deus a todos nos ajude e abençoe! Que as criaturas se recordem das ões de estudos desta e de outras casas onde, diariamente dezenas, milhares de espíritos descem à Terra, sustentando a capacidade de luta dos que aqui estão degredados temporariamente. Ninguém está só. Amigos espirituais confortam, consolam, segue, à frente da imensa caravana que desejas acertar. Segue à frente Jesus, segue à frente de todos aqueles que lutam por ter paz. Que as criaturas se recordem disto: ninguém está só!
Que Deus, que Jesus nos abençoem e nos deem a sua paz!

Balthazar, pela graça infinita de Deus.

Paz!

Do Livro: Pela Graça Infinita de Deus, vol. 1 CELD
Psicofonia Altivo C. Pamphiro


quarta-feira, 26 de setembro de 2018

REENCARNAÇÃO: OPORTUNIDADE ABENÇOADA

Prezados irmãos, confiados em Deus, saibamos que a vida na Terra é a oportunidade de trabalho para o espírito.
Reencarnam no Planeta aquelas almas desejosas de vencer suas inibições, seus processos de desajustes, suas inquietações e aqueles que têm dívidas com o semelhante, dívidas essas quase todas oriundas da ação, principalmente no mal, ação feita em vidas anteriores, passadas na Terra.
A reencarnação constitui uma necessidade para o espírito, uma vez que lhe faculta o aprendizado e a oportunidade de liquidar dívidas que contraiu em vidas passadas.À liquidação da dívida, o homem acrescentará o mérito de ter sabido vencer suas dificuldades.
A reencarnação também visa a fazer com que a criatura encontre seu ex-inimigos ou aqueles que ainda se considerem como tal. São almas que reencontram, vestindo novo corpo, e que, por essa razão, têm a oportunidade de se verem sem se detestarem. Quando existe a sensação de desconforto espiritual, do qual quantas vezes vemos-nos possuídos ao defrontarmos com alguém teremos dentro de nós apenas uma pergunta: por quê?
Essa é uma providência de Deus em nosso benefício, fazendo com que voltemos a encontrar aqueles que nos fizeram mal, sem que disso guardemos qualquer certeza, e com eles convivamos até quando for possível.
A reencarnação traz ainda outro benefício, que é a possibilidade de caminharmos, com segurança, naqueles territórios mentais, morais e físicos que antes nos fizeram cair.
Seres que faliram com outros seres e que teriam vergonha do reencontro face a face, para repetir as mesmas experiências, pela reencarnação conseguem fazê-la, já que lhe são apagadas da mente as lembranças capazes de trazer tal constrangimento.
Assim, irmãos, diante da reencarnação, no dizer expressivo dos espíritos comunicantes numa ou noutra sessão, só temos a lhes dizer: valorizem a vida de homem encarnado. Ela é muito importante. Para demonstrar a importância desta vida, o próprio Cristo não Hesitou em tomar um corpo de carne que lhe possibilitasse viver entre nós, agir, trabalhar, enfim.
Que cada um de nós, quando encontrar, em seu coração, a angústia, a dúvida, a perplexidade, saiba entender que tais sentimentos são instrumentos passageiros na escala de nossa elevação.
Dia virá em que todos os processos de sofrimento desaparecerão. Quando? Exatamente quando encontramos a paz de consciência. Lutar pela paz de consciência, evitar os crimes, confiar em Deus e fazer sempre o bem são, portanto, os caminhos que levam o homem entre outros ao equilíbrio espiritual.
Todos os que passam por angústias ou por problemas reflitam: a vida deve ser valorizada e o homem é o artífice de sua própria vida. Perseverem sempre nas obras do bem.
Que Deus, Jesus e os bons amigos espirituais estejam com todos, envolvendo-os nas vibrações profundas do amor superior!
Deus abençoe a todos!


Hermann

Do Livro: Palavras do Coração, vol 1 CELD
Psicofonia: Altivo C Pamphiro

sábado, 8 de setembro de 2018

NASCER DE NOVO


A debilidade moral enlaçada ao pessimismo faz-te considerar que "tudo está acabado".
Refletes, chegando `a conclusão falsa de que "nada podes agora realizar." Na amargura que aflora em tua alma turbilhonada, concluis que a "reencarnação está perdida."
anelarias por outra oportunidade, supondo haveres fracassado, desastradamente.
O malogro parece-te irreversível e não dispõe de outro recurso senão o desaire, ou, então, o desassisamento.
Refaze anotações, reconsidera a posição mental, examina melhor a problemática do insucesso e perceberás que a experiência, normalmente é decorrência natural dos equívocos a que nos permitimos, transformando-se em lições de que nós não podemos esquecer.
Olha em derredor:
a tempestade destroçou tudo e o fantasma da desolação domina.
Logo mais, porém, muda o clima, altera-se a paisagem, a vida ressurge.
Mais além a terra está adusta pela inclemência do sol e o antigo campo, o abençoado pomar, o rico jardim se transformaram em deserto crestado, o solo infeliz. Modifica-se, no entanto, a condição climática, chuva generosa faz que tudo reverdeça e primavera ditosa restitui a beleza e a vida em toda parte.
A lagarta adormece na terra imunda para ressurgir na alegre borboleta que plaina.
A semente sucumbe no solo a fim de  dar lugar ao arvoredo que triunfa acima do chão.
O ramo de enxerto modifica a estrutura primitiva da planta ou a multiplica em plantas novas.
Assim, não obstante teus sofrimentos, insucessos, podes renascer para a alegria, tens o dever de nascer de novo, porquanto, luzindo a oportunidade, não te podes entregar a decepções injustificáveis nem a conclusões infelizes.
Cada dia é benção nova, cada minuto faculdade espontânea de crescimento.
Ninguém há que esteja vencido, senão quando abandona a luta.
Indispensável travar a batalha final que sempre ocorre no campo imenso do próprio eu onde se refugiam inimigo soezes, que se disfarçam com as alcunhas de desânimo, egoísmo, orgulho, presunção, remorso, soberbia, quando não assumem expressões mais sórdidas e cruéis.
Disse Jesus: "é necessário nascer de novo".
Não adies, hoje, o teu renascimento moral, pensando já na próxima conjuntura carnal.
A reencarnação vindoura, será, sem dúvida, a continuação da reencarnação em que te encontras.
Começa, agora, esse amanhã que anelas e envida todos os esforços para triunfar. Se Maria de Magdala pensasse com desânimo e tivesse sido vencida pelo medo não seria o exemplo da cristã decidida, que nos constitui modelo correto.
O Evangelho, assim, é preciso legado de homens e mulheres, que se tornaram heróis da fé e da renúncia após experimentarem todas as vicissitudes. Dize, então: "Recomeço a viver; estou nascendo de novo".

Joanna de Ângelis

Do livro: Celeiro de Bençãos. LEAL
Psicografia: Divaldo P. Franco

domingo, 22 de julho de 2018

ESQUECIMENTO

Não te rebeles contra o esquecimento em que te mergulhas, na experiência da Terra, e aprende a valorizar o minuto para materializar o bem, assim como o tecelão aproveita o fio para fazer a própria vestidura.
Sob a neblina da carne, reencontramos-nos pontualmente uns com os outros para corrigir e sublimar.
A consanguinidade, por isso mesmo, quase sempre é o bendito santuário do reajuste.
Aí dentro, nos altares invisíveis do coração, é possível desculpar sempre, ajudar sem repouso e repetir suaves lições de humildade, a fim de que a nossa alma se desenfaixe de pesados compromissos com as sombras.
Não te preocupes se a memória anestesiada pela Misericórdia Divina se revela incapaz de reconhecer os adversários e as afeições de ontem.
Em ti mesmo, por tuas tendências e princípios, sabes quem foste. E, em teu lar, pelos conflitos e necessidades que a experiência doméstica te apresenta, sabes o que deves.
Somos ainda o reflexo do que somos.
Obtemos do mundo o que merecemos.
Desse modo, saibamos retificar o passado, com a observância do bem, nas horas do presente, e o porvir responder-nos-á com a seara de amor e luz, paz e alegria que nos propomos alcançar.
A luta terrestre é campo imenso, em cuja superfície podemos projetar as sementes da bondade, todos os dias.
Comecemos, porém, pelo canteiro de casa.
Nossos pais e nossos filhos, o esposo e a esposa, o irmão e o amigo são leiras de espiritualidade, esperando por nossas demonstrações de concurso fraterno.
Não olvides a aplicação dos ensinamentos de Jesus, por onde segues, e o esquecimento transitório da vida física surgir-te -á como sendo a ponte bendita de acesso à sublimação integral.


Emmanuel

Do Livo: Mãos Marcadas IDE
Psicografia: Francisco C. Xavier

domingo, 1 de julho de 2018

VOCÊ E A REENCARNAÇÃO

A reencarnação é o retorno da alma à Terra, repetidas vezes, no corpo humano. Somente essa doutrina explica as aparentes injustiças da vida. É a verdade eterna.
Na sucessão dos nascimentos, o homem adquire experiências e conhecimento acerca de si mesmo e do seu destino. Pela reencarnação aprende-se que " O homem colhe aquilo que semeia,"
Toda vida é eterna. A lei da justiça é infalível. 
Não há um pensamento, uma palavra ou uma ação que não tenha o seu eco. Para possuir, dê. Você tem de saber disso. O homem cria as causas e a lei cármica ajusta os efeitos. Você tem liberdade de escolher entre o bem e o mal.
Portanto, o melhor esforço está no aperfeiçoamento próprio. É isso que importa, afinal de contas? A instrução é o tesouro da alma. Mas que aproveita o homem possuir um tesouro e não usá-lo em boas ações?
O desenvolvimento da nossa acuidade espiritual faz brilhar a luz dentro de nós.  Não basta ao homem espiritualizar-se, Ele deve aplicar e demonstrar a sua espiritualização. Viver é dar.
Deus enviou-nos, a cada um de nós, para ser um trabalhador do Seu Reino. O fruto da cultura é semeado em obras para a generosidade de Deus no mundo.
De outro lado, o conhecimento é como a semente; a que cai no coração aberto, produz o fruto da perfeição.
Se a nossa fé em Deus for suprema, Deus retribui na mesma medida.
A justiça o exige e, assim, o entendemos. Destinamo-nos à felicidade aqui ou além se, acima de tudo, proporcionarmos a felicidade ao nosso semelhante. Essa é a lei de causa e efeito - renascimento.
De que serve o conhecimento inativo?
Dê amor à Humanidade e você receberá amor, em todas as suas manifestações.
Todo ser humano é rodeado de oportunidades sem-fim e de infinitas possibilidades. A lei cármica retribui a você do modo como você a recebe. Procure conhecer-se e praticar as boas ações sempre. Experimente.

Ernest O'Brien

Do livro: Entre Irmãos de outras Terras. FEB
Psicografia: Waldo Vieira